Cantinho do Video

Adubo Caseiro Fácil de Fazer

372 Visualizado
URL

Você não curtiu. Obrigado pela sua opinião!

1 ano atrás em Plantas Hortas e Jardinagens
DIREITOS AUTORAIS: Minhas Plantas

O vídeo de hoje mostra como é fácil aproveitar cascas, folhas, talos e outras partes de vegetais que normalmente iriam para o lixo. Com esse material, se cria um ótimo composto e o utiliza em seus vasos e floreiras. São uma receita 100% natural, segura para sua família e seus animais. O nome dessa técnica super simples é adubação laminar, mas pode chamar de adubo caseiro!

 

O que é adubação laminar?

Um composto orgânico, de origem vegetal e que pode ser utilizado como adubo de plantas de jardim, vasos, canteiros e até mesmo hortas. Esse é o adubo laminar, uma pasta riquíssima que serve de alimentos para microrganismos e estes, por sua vez, decompõem a matéria e a transforma em nutrientes para as plantas. Pode ser usado na superfície do substrato, sem a necessidade de revirar a terra para misturá-lo. A ação das regas é quem se encarrega de “escoar” o líquido desse composto e distribuir em pequenas doses essa rica misturinha.

 

O que pode ser usado para preparar o adubo:

Para fazer líquido utilizado na adubação laminar, você precisa de poucas coisas e tudo é encontrado em casa: um liquidificador, água e sobras de vegetais. É importante que todos os ingredientes utilizados sejam crus – alimentos cozidos e temperados não entram nesse preparo. Olha só uma listinha do que você pode utilizar: cascas de banana, os cabinhos do cacho da uva, talos de brócolis, folhas queimadinhas da alface, miolo da maçã, aquele topo do tomate, pétalas externas da cebola, jiló que passou um pouco do ponto… Tudo o que for de origem vegetal, que seja cru e sem nada de tempero ou que não foi ao fogo. Além desses, pode entrar nessa papinha nutritiva: cascas de ovos (lavadas e secas) borra de café e chás (sem o saquinho, né?). O que não serve para adubação laminar: carnes e laticínios. Nada de sobras de queijo, nervos e gordura do bife, pele e ossos de frango… Nada disso pode ir ao preparo da adubação laminar.

 

Como preparar?

É a coisa mais fácil do mundo: no liquidificador com um pouco de água, vá adicionando os “ingredientes” previamente separados. Ah, vale ir guardando as sobras para fazer o processo uma vez por semana. Coloque os talos, cascas e sobras em um potinho e quando tiver uma boa quantidade, prepare o adubo. Nem precisa picar em pedacinhos, não é pra ficar bonitinho e sim, virar uma pasta bem nutritiva. Se houver necessidade, adicione mais água. Em minutos, você tem um creme bem líquido, meio bege, meio marrom.

 

Como usar?

Espalhe o adubo laminar sobre o substrato das plantas, numa lâmina bem uniforme – daí seu nome, “laminar”. Na sequência, aproveite para regar bem as plantas. A água ajuda a espalhar melhor a papa e integrá-la melhor com a terra. Para evitar que mosquinhas e outros bichinhos chatos usem palhinhas protetoras sobre o adubo. Aliás, esse preparado não é exatamente para a planta e sim, para os serezinhos que habitam o solo. Essa fauna minúscula que vive nos vasos e jardins irão se alimentar da matéria orgânica que o adubo contém e, transformá-la em componentes químicos super importantes para suas plantas. É um ciclo vivo de transformação – nada se cria, tudo se transforma, lembra?

Deixe um comentário!